retrato de um homem escondido por um pano com padrão de pele de leopardo

O controlo é fundamental

Nicholas Mastoras

Se existe algo que distingue a abordagem de Nicholas Mastoras aos retratos, é o controlo. Contudo, o controlo não precisa de ser limitador. Na realidade, promove a arte e acolhe o inesperado. Por isso, quer fotografe no estúdio ou no local, pode produzir o seu melhor e mais surpreendente trabalho.

senhora com calças cor-de-rosa posa numa colina © Nicholas Mastoras | Sony α7 IV + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/800s @ f/2.8, ISO 200

A trabalhar profissionalmente como fotógrafo desde 2013, fotografando editoriais, campanhas e imagens comerciais, Nicholas provém de um contexto de publicidade, mas foi "sempre fascinado por retratos, inicialmente porque me retirou da minha zona de conforto", afirma. "Como a maioria das pessoas, gostava de tirar fotografias de amigos e familiares, mas rapidamente comecei a querer pedir mais controlo. Isto evoluiu para um ponto em que agora seleciono modelos que correspondam ao estilo de imagem que pretendo criar, e com a minha maravilhosa equipa de maquilhadores, cabeleireiros e estilistas de moda, consigo criar uma visão que é autêntica para mim: revigorante, ousada e estilizada!"

senhora com um top verde posa para um retrato © Nicholas Mastoras | Sony α7 IV + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/250s @ f/2.8, ISO 160

Uma grande parte dessa visão está relacionada com a luz. "Adoro utilizar luzes estroboscópicas porque proporcionam um visual muito distinto", confirma Nicholas, e a sua abordagem sofisticada pode ser vista na variedade de estilos que cria com diferentes ângulos, possibilidades, modificadores e cores para se adequar às suas intenções.

"O visual que crio depende sempre do projeto. Por exemplo, nesta fotografia queria alguma definição no objeto, para demonstrar a textura da maquilhagem", explica. "Utilizei um prato de beleza para a câmara esquerda, equipado com uma grelha e um difusor. É um modificador que proporciona um visual belo e esculpido, sem ser demasiado intenso nem demasiado suave. Sabendo qual é o modificador que se adequa à ideia, melhora-se com a experiência", continua, "por isso é preciso experimentar o máximo possível. É a melhor forma de aprender."

senhora a posar ao lado de uma casa em tijolo © Nicholas Mastoras | Sony α7 IV + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/800s @ f/2.8, ISO 250

Ao trabalhar no local, "é preciso conseguir resolver os problemas, escolher o ambiente para se adequar ao objeto e controlar a luz natural, para podermos aplicar a nossa própria influência criativa. Ao fotografar com a Sony Alpha 7 IV, a luz foi muito especial. Desviei a modelo da luz e tinha um grande refletor ao meu lado para equilibrar as sombras."

senhora com óculos de sol ao anoitecer © Nicholas Mastoras | Sony α7 IV + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/500s @ f/2.8, ISO 160

Além do controlo da iluminação, Nicholas garante que as suas sessões de retratos são divertidas e relaxadas, para que a criatividade possa prosperar. "Penso que todos os fotógrafos de retratos concordam que é necessário criar uma relação com o objeto", afirma, "especialmente quando o objeto se sente desconfortável. É preciso controlar a situação de uma forma que os faça sentir relaxados e confiantes. Normalmente, o meu truque é tentar fazê-los rir. Até agora, tem funcionado às mil maravilhas!"

senhora com um vestido verde a olhar para a câmara © Nicholas Mastoras | Sony α7 IV + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/250s @ f/2.8, ISO 160

Contudo, para os fotógrafos, o conforto vem no equipamento que utilizam. "Comecei a utilizar câmaras e lentes da Sony em 2018 e fiquei completamente impressionado", afirma. "A qualidade dos sensores tanto na Alpha 7 IV como na Alpha 1 é incrível, enquanto que a gama dinâmica e a latitude nos RAWs significam que posso realçar o melhor mesmo nas condições de iluminação mais adversas. Durante uma sessão específica com a Alpha 1, tive de preencher as sombras, em seguida, utilizar ligeiramente uma exposição mais baixa e elevar a imagem um pouco na edição, de forma a reter toda a qualidade de que precisa. Estas câmaras têm uma gama dinâmica tão boa, que isto se torna muito fácil."

retrato de um homem com pintura facial © Nicholas Mastoras | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/250s @ f/5.6, ISO 100

Ao trabalhar com a Alpha 1, "é incrível como tudo pareceu tão simples", sorri, "e adorei como é semelhante à alta resolução da série Alpha R da Sony, como o Modo Burst de 30 fps. Outra verdadeira vantagem é a velocidade de sincronização do flash mais elevada de 1/400 s da Alpha 1. Isto faz com que seja muito mais fácil adicionar o flash aos flashes da luz ambiente quando se está a trabalhar num ambiente claro, no interior ou exterior", comenta. "Também significa que posso continuar a utilizar as luzes na sua potência total e não utilizar a Sincronização de Alta Velocidade, onde se perde energia. A Alpha 1 é simplesmente uma ferramenta incrível onde quer que se fotografe", acrescenta.

retrato de um homem recostado em cadeira © Nicholas Mastoras | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/200s @ f/5.6, ISO 200

"Todo este controlo significa que posso interagir com o meu objeto e com as suas expressões, sabendo que, por exemplo, o meu foco estará perfeito, graças à focagem automática (AF) de deteção de olhos da Sony. Quero dizer, a AF sozinha seria um motivo suficientemente bom para mudar para a Sony e nunca mais olhar para trás".

Independentemente de trabalhar no estúdio ou no local, "a minha primeira escolha é a lente 24-70mm f2.8 G Master", acrescenta, pois é "uma ferramenta incrível que é tão boa com grande abertura como com pouca abertura. Por isso, embora normalmente fotografe a f/11, posso abrir até f/2.8 com as luzes em baixa energia e obter a mesma nitidez fantástica. O desempenho das lentes da Sony é quase impossível de superar."

retrato de um homem a usar uma camisa com padrão de pele de leopardo © Nicholas Mastoras | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/250s @ f/5.6, ISO 100

E assim, o resto depende de Nicholas, "fazer com que o esperado aconteça nas minhas imagens. É mesmo essa a magia de trabalhar em retratos", conclui.

Produtos incluídos

Nicholas Mastoras

Nicholas Mastoras | Greece

"No fim de contas, não é a forma como vemos as coisas, mas sim onde estas nos conduzem."

Histórias relacionadas

Inscreva-se para receber a sua newsletter α Universe

Parabéns! Subscreveu a newsletter α Universe com êxito

Introduza um endereço de e-mail válido

Lamentamos! Ocorreu um erro

Parabéns! Efetuou a subscrição com êxito