Focagem da imagem

Javier Aznar | Mordidela de formiga-soldado

A noite já ia longa e estava no meio da floresta amazónica na Bolívia. Estava à procura de animais para fotografar, particularmente cobras. No entanto, deparei-me com um grupo de formigas-soldado, por isso, parei por alguns instantes para as fotografar com a minha Sony Alpha 7R IV.

As formigas-soldado tendem a mover-se à noite e o seu trabalho é proteger todas as outras formigas na colónia contra os predadores. Pus o meu dedo perto o suficiente para que uma das formigas-soldado viesse e me mordesse, que era minha intenção, como é possível ver na fotografia. O que não se pode ver é que, na parte de trás, a formiga também está a picar a ponta do meu dedo. Depois de alguns minutos, o meu dedo ficou muito dorido, mas o pior estava por vir. Nos cinco dias seguintes, o meu dedo ficou tão grande e inchado que não conseguia dobrá-lo.

Com a formiga a morder-me, tive pouco tempo para capturar a imagem com a minha Sony Alpha 7R IV e a lente macro FE 50mm f/2.8. Gosto realmente da lente porque é pequena e muito acessível, o que é algo a ter em conta quando estou a caminhar num ambiente como uma floresta tropical.

formiga-soldado num polegar humano

© Javier Aznar | Sony α7R IV + FE 50mm f/2.8 Macro | 1/250s @ f/14, ISO 320

A imagem que vemos é tal como a tirei na câmara. Utilizei o modo APS-C da câmara para obter um campo de visão recortado que ainda iria criar uma imagem de 26,2 milhões de píxeis, o que significa que obtive a imagem que pretendia na câmara sem ter de a recortar ao editá-la posteriormente. No escuro da floresta tropical, utilizei um flash externo com difusor montado num tripé para iluminar a formiga e o meu dedo. Com uma das mãos estendida a ser mordida, tinha apenas uma mão para segurar a minha câmara, por isso, defini-a para a distância focal mínima e, com muito cuidado, mexi-me para frente e para trás para focar os olhos da formiga.

A imagem lembra-me o quão agressivas e fascinantes são estas formigas-soldado. As pessoas não prestam atenção suficiente às criaturas mais pequenas na selva ou na floresta tropical e elas são incríveis. São tão pequenas e, ainda assim, tão fortes e são muito semelhantes aos humanos em termos de como têm uma sociedade de diferentes hierarquias em cada colónia e cada formiga tem um papel diferente. Neste caso, era uma formiga-soldado a tentar proteger a sua colónia contra um fotógrafo que estava a ser um pouco idiota e, como resultado, não só foi mordido, mas picado!

Javier Aznar

Javier Aznar | Spain

“Para podermos preservar, temos primeiro de conhecer e de amar aquilo que podemos perder, e a fotografia é uma ferramenta útil para sensibilizar e mostrar tudo o que nos rodeia. Através da minha câmara, tento mostrar os animais na sua forma mais pura, do ponto de vista biológico e também artístico.”

Histórias relacionadas

Inscreva-se para receber a sua newsletter α Universe

Parabéns! Subscreveu a newsletter α Universe com êxito

Introduza um endereço de e-mail válido

Lamentamos! Ocorreu um erro

Parabéns! Efetuou a subscrição com êxito