Focagem da imagem

Brendan de Clercq | Steven Oprinsen

Este é Steven Oprinsen, um famoso pintor e artista multimédia holandês. Steven atingiu o topo e teve uma carreira muito bem sucedida, mas teve também os seus momentos difíceis. Viveu um estilo de vida rock 'n roll, sofreu perdas e foi sem-abrigo durante algum tempo. Mas lutou e conseguiu dar a volta por cima.

Steven foi um amigo que morreu subitamente em novembro de 2020 de ataque de coração. Por isso, o seu retrato, entre todos, tem um significado especial para mim.

Quando olho para esta imagem, vejo que tem tudo para mim. É uma imagem pesada. Vejo as suas lutas, mas também o orgulho com aquilo que conseguiu alcançar.

retrato de steven oprinsen com camisa aos quadrados

© Brendan de Clercq | Sony α7R III

Fotografei esta imagem com a minha Sony Alpha 7R III e utilizei uma lente com um adaptador Tilt-Shift. Normalmente, utilizamo-lo para tornar as linhas verticais retas, quando fotografamos arquitetura ou produtos comerciais, mas, neste caso, utilizei-o para alterar a profundidade de campo.

Para mim, o Steven era um tipo muito misterioso. Após falarmos com o Steven, acabávamos sempre a pensar: "O que terá acontecido a este homem?". Tinha uma personalidade muito profunda e tentei captar isso nesta imagem. Por isso, utilizei o adaptador Tilt-Shift para focar apenas os olhos e o rosto. O resto do corpo está desfocado, o que cria esta profundidade de campo misteriosa e invulgar. Fiz tudo isto com a câmara, sem Photoshop ou edição.

Habitualmente, utilizaria o visor eletrónico da câmara, mas nesta situação não podia utilizar o excelente AF de olhos que costumo utilizar quando faço retratos. É uma das melhores funcionalidades criadas nos últimos anos. Contudo, devido ao adaptador Tilt-Shift, tinha de focar manualmente, por isso, utilizei o pico de focagem e o ecrã traseiro para focar a imagem exatamente como pretendia, para obter a profundidade de campo apenas nos olhos do Steven.

O resultado é uma imagem que me parece espelhar o verdadeiro Steven Oprinsen. Há uma vulnerabilidade real neste retrato. Ele costumava dizer piadas e colocava uma máscara e tornava-se nessa personagem para se proteger. Nunca deixava que alguém se aproximasse a 100%. Mas nesta sessão, a nossa ligação foi tão forte que consegui remover essa máscara.

Por isso me orgulho tanto de ser um fotógrafo de retrato. As pessoas deixam-me entrar nas suas vidas para fazer estes retratos.

Brendan de Clercq

Brendan de Clercq | Netherlands

"Um dia farei o retrato perfeito. Um retrato com o máximo de emoção. É isso que me faz subir a fasquia da minha fotografia todos os dias"

Histórias relacionadas

Inscreva-se para receber a sua newsletter α Universe

Parabéns! Subscreveu a newsletter α Universe com êxito

Introduza um endereço de e-mail válido

Lamentamos! Ocorreu um erro

Parabéns! Efetuou a subscrição com êxito