rapariga a sorrir num baloiço

Como tudo começou

Kate Kirkman

Cartier-Bresson adorava lentes de 50 mm e, tal como eu, também começou por pintar, antes de fazer fotografia, e não gostava de distorção nas imagens. Pouco depois de ter adquirido a minha primeira câmara e um kit de lentes, a primeira lente de distância focal fixa que comprei foi uma 50mm f/1.8. Era barata, pequena e leve, mas continua a ser a lente que tornou um passatempo numa obsessão e (rapidamente) numa carreira. Conseguia fotografar com grande abertura e deleitar-me com os resultados de pintura e bokeh. Ou seja, as lentes de 50 mm sempre tiveram também um lugar especial no meu coração. Por isso, quando abri a caixa com a nova Sony FE 50mm f/1.4 GM, fiquei imediatamente entusiasmada com a ergonomia. A sensação de tê-la na mão é absolutamente perfeita, tendo um tamanho e peso tranquilizadores que foram o primeiro sinal de que esta é uma lente de qualidade.

Kate Kirkman a segurar a sua câmara Alpha com a sel50f14gm

Quando captei algumas fotografias iniciais, para ter uma ideia de como era a lente (logo após sair da caixa, com grande abertura e focagem perto dos objetos), dei por mim a utilizar um adjetivo que, normalmente, não associo à fotografia: "cremosa". Pareceu ser a melhor maneira de descrever a qualidade suave e deliciosa das imagens. Mas não em detrimento das fotografias formosamente nítidas onde precisava que fossem. Em algumas sessões, experimentei com uma profundidade de campo muito radical, fotografando com grande abertura para criar imagens com efeito bokeh.

rapariga encostada a uma janela a sorrir © Kate Kirkman | Sony α9 II + FE 50mm f/1.4 GM | 1/500s @ f/1.4, ISO 160

Noutros casos, particularmente em fotografia de alimentos, utilizei aberturas menores, porque precisava de nitidez de ponta a ponta, que foi fornecida em absoluto. Algo importante para mim é a falta de distorção e, provavelmente, pus as lentes novas à prova com maior eficácia através da captação num cenário arquitetónico em Oxford. Fiquei absolutamente encantada com os resultados.

vários alimentos cozinhados dispostos numa mesa de mármore © Kate Kirkman | Sony α9 II + FE 50mm f/1.4 GM | 1/25s @ f/7.1, ISO 800

Tanto eu como o meu marido, Brent, somos fotógrafos híbridos e utilizamos as mesmas lentes para vídeos e fotografias. Reparei que a qualidade e nitidez da nova lente de 50 mm eram as mesmas para filmagem e esta distância focal é mesmo muito versátil em filmagens. Gravo muito ao ar livre no local; por isso, em algumas situações, adicionei um filtro de 10 pontos para que pudesse continuar a gravar com grande abertura. Também trabalho muito em espaços históricos, escuros e sombrios; assim, juntamente com a Alpha 7S III, cria-se uma dupla fenomenal para cenários de pouca luz.

A lente tem praticamente o tamanho perfeito para se "andar por aí" e, como resultado, andou mesmo comigo para todo o lado durante três semanas. Senti-a bem equilibrada nas estruturas das Alpha 7 e 9 (com e sem bateria) para fotografias e vídeo. Era incrivelmente fácil de equilibrar no estabilizador e era muito confortável de manusear.

Kate Kirkman a filmar uma noiva e um noivo

O sistema AF da Sony parece ficar cada vez melhor a cada lançamento de lentes e estruturas. O rastreamento da lente foi impecável e eu pu-la à prova da forma mais impressionante com a nossa labrador preta, enquanto ela se atirava em direção à câmara na praia. Para a fotografia, confiava inteiramente no rastreamento que fazia uma transição perfeita entre o rosto e os olhos. Fiquei particularmente impressionada durante uma sessão de retrato em que pedi à modelo para continuar a virar-se enquanto a rastreava. Ao fotografar com a f/1.4, a câmara captava os seus olhos à velocidade da luz e não a apanhava enquanto ela estava de costas para mim. O desempenho do vídeo também foi fantástico, tão preciso que não tive absolutamente nenhuma preocupação em filmar com grande abertura, quer fosse para beneficiar da luz adicional ou do belo efeito bokeh. A lente é rápida e precisa; pode-se confiar totalmente nela.

rapariga a posar para um retrato à luz suave do inverno © Kate Kirkman | Sony α9 II + FE 50mm f/1.4 GM | 1/500s @ f/1.4, ISO 500

O meu trabalho varia entre a fotografia e a filmagem, desde casamentos a alimentos, de boudoirs a anúncios. Como tal, tenho investido numa gama sempre crescente de lentes Sony G Master. As estruturas e lentes das câmaras Sony estão a evoluir rapidamente e em paralelo, sendo que cada produto permite que o outro tenha o melhor desempenho absoluto. Quero a melhor resolução E TAMBÉM criatividade possíveis, mas, acima de tudo, quero poder relaxar e confiar no meu kit. Não conseguiria este compromisso de segurança com qualquer outra marca.

noiva e noivo numa sala majestosa © Kate Kirkman | Sony α9 II + FE 50mm f/1.4 GM | 1/200s @ f/1.4, ISO 80
planta castanha sob luz intensa do sol © Kate Kirkman | Sony α9 II + FE 50mm f/1.4 GM | 1/4000s @ f/1.6, ISO 125

Qualquer investimento em vidro deve ser cuidadosamente considerado e todos nós sabemos que não existe uma lente "perfeita". MAS a nova FE 50mm f/1.4 GM trabalha tão bem que deverá ser muito simples de utilizar por fotógrafos de todos os níveis e interesses. As lentes de zoom são ótimas e extremamente úteis, mas esta lente faz com que se queira trabalhar um pouco mais com composição, andar mais um pouco e fazer novas experiências. Já passaram muitos anos desde que fiz fotografia de paisagem sem pessoas na imagem e o tamanho e peso eram perfeitos para experimentar com o movimento intencional da câmara (ICM — Intentional Camera Movement), para criar imagens abstratas e com efeitos de pintura, apenas pelo prazer de fotografar. As minhas considerações finais? É "cremosa", rápida, versátil, bem equilibrada, precisa E TAMBÉM criativa. Agora, levo-a sempre para captar imagens.

Produtos incluídos

Histórias relacionadas

Inscreva-se para receber a sua newsletter α Universe

Parabéns! Subscreveu a newsletter α Universe com êxito

Introduza um endereço de e-mail válido

Lamentamos! Ocorreu um erro

Parabéns! Efetuou a subscrição com êxito