Ir até aos extremos

Jaakko Posti

"Para captar as minhas fotografias, gosto de passar por algum sofrimento: levo-me ao limite para as captar. Se simplesmente parar o carro, sair e tirar fotografias na beira da estrada, não aprecio tanto as imagens produzidas como aquelas que capto depois de subir uma montanha com esquis. O clima e o sofrimento acrescentam valor à imagem, pelo menos para mim."

jaakko posti sony alpha 9 homem no ar enquanto salta sobre uma colina a correr

© Jaakko Posti | Sony α9 + FE 70-200mm f/2.8 GM OSS | 1/1000s @ f/4.0, ISO 250

A carreira fotográfica de Jaakko começou com o seu amor pelo ar livre. Como cresceu na paisagem espetacular do norte da Finlândia, Jaakko aprendeu a gostar de explorar o mundo à sua volta através de caminhadas, da prática de esqui e de ciclismo de montanha. À semelhança de muitas outras pessoas, levou a sua câmara consigo para registar as aventuras com os amigos.

 "Sempre que saía, o meu entusiasmo pela fotografia crescia", afirma Jaakko. "Quando comprei uma câmara nova, tudo começou a tornar-se mais sério. Agora, penso que é 50/50: o trabalho de fotografia e de vídeo que faço é indissociável da minha paixão pelo ar livre."

jaakko posti sony alpha 7RII esquiador a descer rapidamente uma encosta entre as árvores

© Jaakko Posti | Sony a7R II + FE 55mm f/1.8 ZA | 1/1000s @ f/4.0, ISO 1000

Não é uma tarefa fácil. Tirar fotografias a temperaturas tão baixas quanto 35 graus negativos é um verdadeiro desafio a nível físico. Mesmo os aspetos mais básicos, como operar uma câmara com luvas, podem ser difíceis e muitos fotógrafos nem sequer percebem que pode ser preciso até mudar a forma de respirar!

jaakko posti sony alpha 7RII homem a esquiar encosta abaixo a grande velocidade

© Jaakko Posti | Sony a7R II + 25mm f/2.0 | 1/2500s @ f/9.0, ISO 400

"Normalmente, utilizo dois pares de luvas", explica Jaakko. "Tento não tirar as luvas maiores, uma vez que me permitem controlar as funcionalidades básicas da câmara, como as definições de abertura, o ponto de AF e, obviamente, o botão do obturador. Se realmente precisar de manipular a câmara, tiro as luvas grandes e, por baixo, tenho umas luvas mais pequenas, muito finas e justas, que facilitam muito a manipulação da câmara. É importante encontrar luvas adequadas às necessidades de fotografar num clima extremamente frio: tem de se lembrar de que a câmara é fabricada em metal de magnésio e, se estiverem 30 graus negativos, então a própria câmara pode ser extremamente fria ao toque."

jaakko posti sony alpha 9 praticante de snowboard a posar com a prancha e com um carro num cenário de neve

© Jaakko Posti | Sony a9 + FE 35mm f/1.4 ZA | 1/80s @ f/2.2, ISO 50

Num clima tão frio, é importante prepararmo-nos e também preparar a câmara. Em condições de frio como estas, nem sequer se pode respirar para cima da câmara porque a humidade na respiração pode congelar quase instantaneamente no ecrã, no visor eletrónico ou na superfície da lente.

"Alguns fotógrafos mantêm a câmara dentro do casaco, mas é preciso ter cuidado com a humidade que se pode formar devido à transpiração. Quando exposta a condições de frio extremo, a humidade pode congelar rapidamente e é um processo que não para quando se abriga, por isso, tem de deixar a câmara e as lentes dentro da mochila para o ar dentro da mesma e as câmaras se adaptarem gradualmente à temperatura. Há muitos aspetos a ter em conta, mas para mim, já fazem parte da minha natureza."

jaakko posti sony alpha 7 visão aérea de um esquiador a descer rapidamente uma encosta

© Jaakko Posti | Sony a7 + FE 70-200mm f/4 G OSS | 1/2000s @ f/8.0, ISO 320

Jaakko diz-nos que, para si, um dos elementos mais importantes da fotografia em condições de frio extremo é ter o equipamento adequado. "Utilizo sempre as câmaras Sony α7R III e Sony α9 e nunca tive problemas a fotografar no frio", afirma. "Já fotografei a 35 graus negativos e a nova bateria NP-FZ100 para as câmaras continua a funcionar e a permitir que fotografe. Lembro-me que, no primeiro inverno em que comecei a utilizar as câmaras, estavam 25 graus negativos, com o vento frio a fazer descer a temperatura para 30 graus negativos, e, mesmo assim, consegui continuar a fotografar."

jaakko posti sony alpha 7RII um ciclista desce lentamente uma encosta íngreme com o pôr do sol atrás de si

© Jaakko Posti | Sony a7R II + FE 70-200mm f/4 G OSS | 1/1000s @ f/5.0, ISO 640

"Considero que as minhas duas câmaras se complementam muito bem", continua, "e são ambas ótimas para levar comigo. Com a α9, consigo obter a melhor velocidade possível com 20 fps e um autofocus rápido e, por isso, utilizo-a quando preciso de captar ação. Para fotografar paisagens ou cenas de paisagem com um ciclista ou um esquiador, utilizo a α7R III e o sensor de 42,4 megapíxeis para captar mais detalhes. Também tem detalhe suficiente para o caso de ter de recortar uma fotografia na edição ou simplesmente se quiser fazer uma grande impressão da mesma".

Quanto às lentes, Jaakko tem uma seleção que utiliza para captar imagens em condições extremas. "Tenho algumas lentes que utilizo mais, como a 70-200 mm f/2.8 G Master, a 70-200 mm f/4, a Sony Zeiss Sonnar 55 mm f/1.8 ZA e a 16-35 mm f/2.8 G Master. Adoro a lente Zeiss Sonnar 55 mm f/1.8 ZA pela nitidez e beleza que confere às imagens, especialmente em retratos, e a 16-35 mm é ótima em todas as distâncias focais, gosto mesmo de a utilizar. Dão-me tudo o que preciso para fotografar ao ar livre."

"Quando estou na montanha a correr ou andar de bicicleta, levo a f/4 por ser mais leve e mais pequena. Foi por isso que comecei a utilizar a série Sony Alpha: percebi que podia poupar em tamanho e peso na minha mochila e agora é mais divertido andar de bicicleta ou praticar esqui na montanha porque o peso diminuiu drasticamente! Quando chega o inverno, como obviamente fica muito mais escuro, preciso da maior abertura possível e então mudo para a lente 70-200 mm f/2.8 GM, já que capta muito mais luz."

jaakko posti sony alpha 9 esquiador a verificar o esqui com a ajuda de uma lanterna para a cabeça

© Jaakko Posti | Sony a9 + FE 24-70mm f/2.8 GM | 1/40s @ f/2.8, ISO 1600

O clima e as condições de luz extremos podem desmotivar alguns fotógrafos, mas para Jaakko, fazem parte da diversão. "O clima e a luz não me param", diz-nos, "estou a viver em pleno Círculo Polar Ártico, por isso, temos algumas horas de sol durante o inverno e, às vezes, nem sequer temos sol. O que temos são condições de luz muito boas. Aqui, no inverno, a chamada Hora Azul dura várias horas e é ótima para combinar com luz artificial, mesmo que sejam apenas as lanternas que um esquiador ou um ciclista de montanha está a utilizar".

jaakko posti sony alpha 7s casa de campo isolada na Islândia debaixo de uma aurora

© Jaakko Posti | Sony a7s + FE 16-35mm f/4 ZA OSS | 1s @ f/4.0, ISO 3200

Jaakko conclui: "Gosto mesmo desta área porque as condições de luz variam muito: no verão, há luz abundante e a hora dourada dura toda a noite e, no inverno, temos uma longa hora azul que dura várias horas. Normalmente, os céus do inverno têm uma cor rosa realmente bela e, claro, também temos as nossas auroras boreais, que são incríveis para captar durante o inverno".

Produtos referidos neste artigo

ILCE-7S

Câmara α7S de montagem tipo E com sensor full-frame

ILCE-7RM2

α7R II com sensor de imagem full-frame com retroiluminação

ILCE-7RM3

Câmara full-frame α7R III de 35 mm com focagem automática

ILCE-9

Câmara sem espelho full-frame α9 com sensor CMOS empilhado

SEL55F18Z

Sonnar T* FE 55 mm F1.8 ZA

SEL1635Z

Vario-Tessar® T* FE 16-35 mm F4 ZA OSS

SEL2470GM

FE 24-70mm F2.8 GM

SEL28F20

FE 28 mm F2

SEL35F14Z

Distagon T* FE 35 mm F1.4 ZA

SEL70200G

FE 70-200 mm F4 G OSS

SEL70200GM

FE 70-200 mm F2.8 GM OSS

Jaakko Posti
Alpha Universe

Jaakko Posti

Finlândia

As melhores coisas que a fotografia me ofereceu foram os locais e os momentos que tive oportunidade de viver, em conjunto com pessoas fantásticas que nunca teria conhecido sem a fotografia.

Ver perfil

x