Detalhe da história da Alpha Universe
Fotografar esquilos com a Sony α7R IV

Gustav Kiburg

À medida que o verão se torna lentamente numa memória distante, as cores do outono produzem o fundo perfeito para o fotógrafo de vida selvagem, Gustav Kiburg. "Penso sempre na cor", diz-nos. "Penso onde me devo sentar e qual será o fundo. Onde está o ramo de uma árvore e qual a cor das folhas no fundo. Há sempre imenso para pensar antes sequer de tirar a minha primeira fotografia".

gustav kiburg sony alpha 7r4 um esquilo em pé com uma folha vermelha brilhante

© Gustav Kiburg

Numa das suas primeiras saídas no outono passado, Gustav aventurou-se na floresta para fotografar esquilos vermelhos com a Sony α7R IV. "São animais engraçados. No outono, são ótimos para fotografar. Durante esta estação, o seu pelo fica mais espesso e ficam com cabelo ao redor das orelhas para se protegerem das temperaturas frias no inverno".

Como os esquilos são pequenos e rápidos, é natural pensar que uma câmara com um desempenho mais rápido, como a Sony α9 II, seria melhor para os fotografar, porém, Gustav tem muitos motivos para considerar a α7R IV a câmara ideal para este projeto.

gustav kiburg sony alpha 7r4 um esquilo num ramo com musgo

© Gustav Kiburg | Sony α7R IV + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/2000s @ f/2.8, ISO 1600

Segundo Gustav, no outono, os esquilos são muito ativos pois estão muitos atarefados a enterrar comida para os meses de inverno. Então, como é que a α7R IV o ajudou a captar isto? "Bem, descobri que era uma grande câmara por ter a capacidade de captar os seus movimentos e atividade", diz. "Há tantos detalhes produzidos a partir do sensor de 61,2 milhões de píxeis, o que me dá a flexibilidade de recortar a imagem e continuar a ter detalhes suficientes para criar imagens grandes. Digo sempre que, quando estamos a captar imagens da vida selvagem, nunca temos «alcance» suficiente, isto é, distância focal. Por isso, ter a capacidade de recortar a composição até à perfeição é fantástico".

gustav kiburg sony alpha 7r4 esquilo num ramo húmido

© Gustav Kiburg | Sony α7R IV + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/320s @ f/2.8, ISO 2000

A distância focal da lente é obviamente crucial na fotografia da vida selvagem e, tal como muitos outros fotógrafos, a lente Sony FE 400mm f/2.8 GM é uma das favoritas de Gustav, a qual utilizou para as imagens dos esquilos vermelhos. Porém, a lente FE 200–600 mm f/5.6–6.3 G OSS é outra das favoritas de Gustav e uma das que recomenda aos fotógrafos amadores que possam queiram experimentar a fotografia da vida selvagem. "Para mim, é a lente perfeita para a vida selvagem", diz-nos. "Tem uma ótima distância focal para a vida selvagem; se estiver na floresta a fotografar um esquilo, posso utilizar uma distância focal de 300 mm, mas, depois, se vir um pequeno pássaro numa árvore, posso rapidamente fazer zoom para 600 mm. Além disso, as 11 lâminas de abertura ajudam a tornar o bokeh de fundo perfeito e a destacar o objeto".

 

gustav kiburg sony alpha 7r4 um açor pousa num ramo

© Gustav Kiburg | Sony α7R IV + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/1250s @ f/2.8, ISO 1000

Outra surpresa da α7R IV é a velocidade do autofocus. Gustav utiliza o seu AF de seguimento e constata que é perfeitamente capaz de acompanhar a vida selvagem. "Quando estava a fotografar, vejo pelo canto do meu olho um açor a aproximar-se para pousar num ramo", explica. "Eles voam muito rápido, por isso, não temos muito tempo para reagir nem para pensar na imagem. Virei-me e, numa fração de segundo, a câmara captou-o e tirou a foto – temos de reagir muito rápido, mas a câmara consegue acompanhar".

gustav kiburg sony alpha 7r4 esquilo em pé à frente de uma poça com as patas juntas

© Gustav Kiburg | Sony α7R IV + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/500s @ f/2.8, ISO 1000

Uma das coisas pelas quais Gustav é apaixonado é a cor; e é um defensor do mau tempo. "O mau tempo é o tempo das cores", defende. "Não gosto do sol. Emite uma luz demasiado forte, e, quando assim é, as sombras que obtemos também são demasiado fortes. Saio sempre quando o tempo está nublado porque é quando as cores se destacam. Com o contraste da lente, podemos ver todas as cores naturais ricas, especialmente no outono. Por vezes, utilizo um polarizador para enriquecer ainda mais as cores, particularmente em ambientes de bosques húmidos. Todas essas cores ajudam a destacar o habitat natural dos esquilos e atuam como o pano de fundo perfeito para os seus pequenos casaquinhos de inverno de um vermelho vívido."

gustav kiburg sony alpha 7r4 um esquilo na extremidade de um ramo com um ar surpreso

© Gustav Kiburg | Sony α7R IV + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/500s @ f/2.8, ISO 1000

Depois de um longo dia a fotografar esquilos e pássaros na floresta, e quaisquer outros animais com que se depare, Gustav diz que consegue facilmente captar 1000 imagens por dia. Mas o que acontece a todas essas fotografias? Com um sensor de 61 milhões de píxeis, estamos a falar de uma enorme quantidade de dados de imagem a armazenar. "Guardo as melhores 10 a 15 fotografias e depois elimino as outras 985!" afirma, rindo-se. "Não compreendo aquelas pessoas que se preocupam ter muito mais espaço de armazenamento por causa das imagens de alta resolução. Quero partilhar as melhores imagens com as pessoas e não a 100.ª melhor. Nunca vou utilizar qualquer uma dessas outras fotografias, pelo que iriam acabar por ficar no disco rígido sem que nunca mais voltasse a olhar para elas. É por isso que simplesmente as elimino. Problema resolvido!"

Produtos incluídos
ILCE-7RM4
Câmara full-frame Alpha 7R IV de 35 mm com 61 MP

ILCE-7RM4

SEL400F28GM
FE 400 mm F2.8 GM OSS

SEL400F28GM

Artigos relacionados
Gustav Kiburg
Alpha Universe

Gustav Kiburg

Holanda

"O mau tempo é um excelente tempo a nível de cores"

Ver perfil


x