Fazer a mudança

Kaisa Lappalainen

"Fazer mais." Não há melhor conselho para os fotógrafos da vida selvagem e esta tem sido uma metodologia importante na obra de Kaisa Lappalainen, incluindo no seu projeto mais recente sobre a floresta tropical temperada fria da Tasmânia e os seus habitantes.

Mas fazer mais do quê e como? Para Kaisa, fazer mais é ir mais longe geograficamente e criativamente e conseguir obter maior impacto político.

kaisa lappalainen sony alpha 9 pequeno mamífero sentado na selva

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/640s @ f/2.8, ISO 2000

Uma guia turística de safári de sucesso, com várias visitas guiadas realizadas em África, Kaisa fotografa a natureza desde os 15 anos, tendo começado por utilizar uma DSLR muito usada e mudado mais recentemente para uma Sony α9.

No entanto, foi um objetivo muito diferente que a levou à Tasmânia. "Tinha de viajar até à Austrália para o casamento de um amigo e, já que teria de fazer uma viagem de 20 horas, decidi aproveitar a viagem para outro projeto. Nunca tinha estado na Tasmânia, mas fascinava-me o ambiente do país, pois são raras no mundo as florestas tropicais temperadas frias. Queria conhecer esta região em primeira mão".

 

kaisa lappalainen sony alpha 9 pequeno mamífero em campo aberto

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 85mm f/1.4 GM | 1/2500s @ f/2.0, ISO 100

Kaisa sentiu uma ligação imediata à Tasmânia devido ao tema da preservação da natureza. "A Tasmânia enfrenta uma grande ameaça devido à exploração florestal e a Finlândia tem o mesmo problema: cultivamos florestas e produzimos papel higiénico! A grande diferença é que na Tasmânia estão a ser abatidas árvores milenares para serem plantados mais eucaliptos. As florestas são diferentes, mas os problemas são os mesmos. As espécies estão sempre ameaçadas com a perda dos habitats." Kaisa decidiu realizar este projeto para espalhar a mensagem sobre o que se passa nesta região.

kaisa-lappalainen-sony-alpha-9-tasmanian-bird-stands-alone-in-an-open-space

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 70-200 mm f/2.8 GM OSS | 1/1250s @ f/5.6, ISO 400

Para transmitir a sua mensagem visualmente, Kaisa tenta contar uma história, em estilo documental. "É importante ter contexto, para que as pessoas vejam as espécies, mas também a paisagem e o habitat."

Por isso, Kaisa realça a importância de não se concentrar apenas nos grandes planos, o que considera ser um erro frequente quando se fotografa retratos de animais ou se faz fotografia de ação.

kaisa lappalainen sony alpha 9 grupo de aves da tasmânia no mato

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/320s @ f/2.8, ISO 320

"Julgo que existem três fases pelas quais o fotógrafo de vida selvagem deve passar", explica. "A primeira consiste em aproximar-se o mais possível do animal e preencher o espaço, como num retrato. A segunda, em captar o objeto no seu ambiente, para fornecer um contexto. Na terceira fase, menos documental e mais artística, deve utilizar o panning ou velocidades de obturador lentas. No conjunto, a variedade contribui para a qualidade do projeto."

kaisa lappalainen sony alpha 9 echidna fareja o chão em busca de alimento

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 70-200mm f/2.8 GM OSS | 1/1250s @ f/2.8, ISO 400

Para esta abordagem, é essencial utilizar uma variedade de lentes. Kaisa confia em três: FE 16-35mm f/2.8 GM, FE 70-200mm f/2.8 GM OSS e FE 100-400mm f/4.5-5.6 GM OSS, para satisfazer todos os requisitos entre super grande angular e super teleobjetiva.

"Gosto de levar o material todo comigo", explica, "e, para acelerar o processo, tenho dois corpos α9. Normalmente tenho a 100-400mm num corpo e a 70-200mm no outro, mas muitas fotografias da Tasmânia foram tiradas com a nova FE 400mm f/2.8 GM OSS, que é sensacional."

Quais as vantagens de usar mais do que um corpo? Kaisa explica: "Posso reagir muito mais rapidamente do que se for obrigada a trocar as lentes. Os animais são rápidos e os seus comportamentos fugazes, por isso, nem sempre há tempo para isso."

Segundo Kaisa, o transporte de vários corpos e lentes apenas é possível por ter mudado para o kit Alpha, mais leve e compacto. "Mesmo a lente 400mm, que poderia ser considerada uma lente pesada, pode ser agora utilizada sem suportes."

kaisa lappalainen sony alpha 9 dois cangurus lutam pelo domínio

© Kaisa Lappalainen | Sony α9 + FE 400mm f/2.8 GM OSS | 1/800s @ f/2.8, ISO 1600

"Mudar para a α9," continua Kaisa, "foi um grande passo a nível de desempenho em relação à minha DSLR. Não me imagino a usar essa máquina atualmente, principalmente devido ao desempenho de focagem automática, essencial para a minha fotografia de vida selvagem. Sei que consigo acompanhar um animal a voar ou a correr e mantê-lo focado."

Continua: "Alterno entre AF Contínuo com uma área de zona ampla para ação e objetos imprevisíveis e AF Único com uma área de precisão para retratos, e o melhor é que consigo fazer um zoom imediato para verificar se obtenho a nitidez exatamente onde pretendo. Quando guio grupos de utilizadores de DSLR, consigo sempre fotografar o que quero e eles não."

Qual é o impacto que Kaisa espera ter com o seu projeto?

"No final de contas, o importante é que as pessoas percebam que as suas ações têm consequências. Temos de entender que, à porta de nossa casa ou do outro lado do mundo, a luta é a mesma. Estes ambientes fantásticos podem desaparecer se não alterarmos os nossos comportamentos."

Produtos referidos neste artigo

ILCE-9

α9 equipada com um sensor CMOS empilhado full-frame

ILCE-9

SEL70200GM

FE 70-200mm F2.8 GM OSS

SEL70200GM

SEL400F28GM

FE 400 mm F2.8 GM OSS

SEL400F28GM

SEL85F14GM

FE 85mm F1.4 GM

SEL85F14GM

Kaisa Lappalainen
Alpha Universe

Kaisa Lappalainen

Finlândia

Fotografar espécies ameaçadas nos seus habitats naturais é algo que me motiva. Sei que os animais ou os habitats podem deixar de existir para as próximas gerações, o que torna ainda mais importante a partilha das imagens do nosso belo planeta e dos seus vários ambientes.

Ver perfil


x