Como fotografo
Fotografar a aurora boreal

Ole Salomonsen


Para mim, não há nada que se compare a assistir e captar uma aurora fantástica numa noite de inverno fria e escura no Ártico. A aurora boreal é muito imprevisível, o que torna "a caça" e a espera igualmente entusiasmantes. Tem de acontecer muita coisa e as auroras podem acabar tão rápido quanto começam. Todas as auroras são diferentes, por isso, quando há uma boa previsão de auroras, acredito sempre que será um bom espetáculo para fotografar.

ole-salomonsen-sony-alpha-7RM3

© Ole Salomonsen | Sony α7R III + FE 16-35mm f/2.8 GM | 2s @ f/2.8, ISO 2500

O que fotografar e onde

Fotografar auroras é um tipo de fotografia entre dois géneros: fotografia de paisagem e de astros. Como acontece com qualquer fotografia de paisagem, a fotografia de auroras também tem de ter um primeiro plano e plano de fundo apelativos. A história tem de ser sobre o local e o drama do céu quando se ilumina.

Costumo procurar montanhas como fundo e um lago ou rio para acrescentar interesse de primeiro plano. Também nos permitem captar um reflexo da aurora na água, por isso, a aurora não tem de ser sempre muito forte para conseguirmos grandes imagens.

ole-salomonsen-sony-alpha-7RM3

© Ole Salomonsen | Sony α7R III | 6s @ f/2.8, ISO 3200

Expor a fotografia

Como acontece com qualquer tipo de fotografia, as definições de exposição para captar a aurora boreal dependem da situação específica.

Se as auroras forem fracas, é preciso utilizar um tempo de obturador mais longo para as tornar mais visíveis, mas o mais certo é querer utilizar uma lente com uma abertura f/2.8 ou superior, para capturar o máximo de luz possível. Para captar toda a amplitude da cena, costumo utilizar lentes grande angular, a Sony FE 16-35 mm f/2.8 GM ou a nova FE 12-24 mm f/2.8 GM.

Como os primeiros momentos podem ser fracos, é importante estar atento às definições de exposição e sermos muito flexíveis. Se as auroras forem fortes, fotografo com a velocidade do obturador mais rápida possível. Isto permite-me congelar mais ação das auroras, tornando os raios mais visíveis, em vez de obter uma sopa verde desbotada que vemos às vezes em imagens de longa exposição.

ole-salomonsen-sony-alpha-7RM3

© Ole Salomonsen | Sony α7R III + FE 16-35mm f/2.8 GM | 4s @ f/2.8, ISO 3200

Isto significa que terá de aumentar a sensibilidade da sua câmara. Felizmente, com as câmaras da série Sony Alpha 7R, posso aumentar a sensibilidade ISO tanto quanto preciso, pois sei que o ruído será mínimo e que poderei recuperar estes detalhes das zonas sombreadas.


Focagem

Quando fotografamos auroras, a maior parte do tempo queremos ter as estrelas focadas. Fazê-lo numa noite fria e escura de inverno é um desafio com qualquer DSLR convencional. Contudo, com as câmaras Sony, posso utilizar a funcionalidade Focagem Peaking incorporada, que realça as áreas focadas. Também tenho ativada a função Assistência à focagem manual, para a câmara fazer zoom automaticamente na imagem quando rodo o anel de focagem da lente. Assim, é ainda mais fácil localizar e focar as estrelas.

ole-salomonsen-sony-alpha-7RM2

© Ole Salomonsen | Sony α7R II + FE 16-35mm f/2.8 GM | 3.2s @ f/2.8, ISO 3200

Ao utilizar uma grande abertura, como f/2.8, é importante ter em consideração que os elementos em primeiro plano não ficam muito nítidos se focarmos as estrelas. Em geral, quando utilizamos uma lente de 16 mm a f/2.8 numa câmara full-frame, a maioria dos elementos em primeiro plano a 3-4 metros da câmara fica razoavelmente nítida, mesmo quando focamos as estrelas. Mas se quisermos um primeiro plano nítido, podemos ter de tirar várias fotografias, focadas em pontos diferentes e combiná-las com o Empilhamento de focagem.

ole-salomonsen-sony-alpha-7R

© Ole Salomonsen | Sony α7R | 3.2s @ f/2.8, ISO 2500

Lembre-se: não temos o controlo, as auroras é que têm, especialmente quando se movem rapidamente. Utilize um tempo de exposição curto, inferior a 1 segundo, se possível, e não tenha medo de aumentar a sensibilidade ISO. 

Esteja também pronto para tudo o que o ambiente oferecer. Já fotografei auroras com o meu kit Alpha a -35 C° sem qualquer problema, mas como em qualquer dispositivo eletrónico, as baterias sentem dificuldades a estas temperaturas. Coloco-as sempre nos bolsos do casaco para as manter quentes e durarem mais. Além disso, a estas temperaturas extremas, o ecrã LCD pode ser afetado, por isso, coloco uma peça de roupa por cima da câmara, para o manter um pouco mais quente enquanto espero pelo momento perfeito.

O mais importante a lembrar é deixar que o primeiro plano nos guie até à imagem, à montanha épica no fundo, às auroras fantásticas sobre a montanha e, se tivermos sorte ou planearmos bem, talvez consigamos obter o reflexo das auroras no rio em primeiro plano.

Produtos incluídos
α7R III
α7R III

ILCE-7RM3

α7R II
α7R II

ILCE-7RM2

α7R IV
α7R

ILCE-7R

FE 12-24mm f/4 G
FE 12-24mm f/4 G

SEL1224G

FE 16-35mm f/2.8 GM
FE 16-35mm f/2.8 GM

SEL1635GM

16-35mm f/2.8 ZA SSM
Vario-Sonnar T* 16–35 mm F2.8 ZA SSM II

SAL1635Z2

Artigos relacionados
Ole Christian Salomonsen
Alpha Universe

Ole Christian Salomonsen

Noruega

Faço fotografia para caçar a luz do ártico.

Ver perfil


x