mathias kniepeiss a segurar uma sony alpha 1 com a fe 24-70 gm mk2

Futevólei | Teste da nova FE 24-70mm f/2.8 GM II

Mathias Kniepeiss

O fotógrafo premiado Mathias transformou a sua paixão numa profissão há 18 anos e agora trabalha em todo o mundo como fotógrafo, diretor criativo e orador. "Mergulhar noutros mundos e culturas," diz Mathias, "conhecer pessoas e locais fantásticos em todo o globo é uma dádiva enorme para mim e estou muito grato por poder fazer aquilo de que gosto!"

Quando lhe propuseram testar a nova FE 24-70mm f/2.8 GM II, Mathias não desperdiçou a oportunidade e teve a sorte de receber um projeto em Eilat, Tel Aviv: a cobertura do Campeonato Mundial de Futevólei do Mar Vermelho.

Quais foram as suas primeiras impressões acerca da lente?

Quando manuseei a lente pela primeira vez, fiquei imediatamente impressionado com a qualidade de construção e toque de qualidade elevada. É significativamente mais pequena do que a versão anterior e bastante mais leve, o que é uma grande vantagem para mim. Tenho de viajar muito no meu trabalho, transporto algumas estruturas e várias lentes, por isso, qualquer alívio do peso é muito bem-vindo!

Gostei em particular do anel de tensão do zoom. Quando o ajustei com uma tensão elevada, parecia que estava a utilizar uma lente de distância focal fixa. A distância focal não sofreu alterações, mas quando ajustei para a definição menos tensa, o mecanismo revelou-se muito suave e pude alterar as distâncias focais muito rapidamente. Não teria conseguido tantas boas imagens de ação sem o zoom rápido. O anel de abertura manual também agradará aos videógrafos e aos fotógrafos que preferem os métodos da velha guarda.

jogador de futevólei estica-se para chegar à bola com o pé

© Mathias Kniepeiss | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM II | 1/2500s @ f/2.8, ISO 100

O equilíbrio entre a nova lente e as minhas estruturas Alpha 1 e 9 II também melhorou muito. Uma lente mais pesada pode, por vezes, parecer mais pesada à frente, o que dificulta a reação rápida enquanto seguimos a ação."

O que lhe pareceu a velocidade de focagem automática da nova lente em comparação com a versão MK1 anterior?

O novo AF é significativamente mais rápido, o que me dá novas possibilidades e estimula a minha mente criativa! Mudou completamente a forma como abordo as fotografias: poder captar os meus objetos mais cedo e ter a certeza de que o rastreio AF acompanha sem problemas. Descobri que podia alterar os ângulos e as distâncias focais muito rapidamente durante uma série de captações e isso dá-me mais opções. Comecei a fotografar com a minha Alpha 9 II e, quando mudei para a Alpha 1, queria saber se lente acompanhava os 30 fps que a Alpha 1 oferecia... Sem problemas! É quase rápida demais para o olho humano.

dois jogadores de futevólei chutam a bola por cima da rede

© Mathias Kniepeiss | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM II | 1/8000s @ f/2.8, ISO 200

A respiração de focagem é muito bem suprimida nesta lente, notou isso?

Para ser franco, nem notei, inicialmente! Mas quando mudei a focagem do primeiro plano para o fundo, reparei que o enquadramento não foi alterado. É como se já não houvesse qualquer respiração de focagem!

dois jogadores de futevólei procuram a bola ao anoitecer

© Mathias Kniepeiss | Sony α1 + FE 24-70mm f/2.8 GM II | 1/1000s @ f/4.0, ISO 640

Quais são as suas conclusões finais?

Esta lente é uma obra de arte, especialmente devido à sua distância focal versátil. A qualidade de imagem deixou-me de boca aberta, o bokeh a 70mm é muito suave e a nitidez nas extremidades a 24mm é muito melhor do que esperava.

Sou um fã das lentes Sony desde que peguei numa Alpha há vários anos. Para mim, a diferença entre uma boa imagem e uma imagem fantástica está sempre na qualidade e no bokeh da lente, e sempre senti que a lente da minha Sony oferece resultados maravilhosos. Esta nova G Master Mk II não é exceção. Mesmo com o sensor de alta resolução da Alpha 1, vejo que esta lente é mais do que capaz de reproduzir o detalhe mais ínfimo. Sei que nunca terei de me preocupar com o desempenho e a compatibilidade das minhas lentes com qualquer geração de câmaras que surja no futuro!

Mathias Kniepeiss

Mathias Kniepeiss | Austria

“Documentar histórias para a eternidade ou criar novos mundos: nada é impossível na fotografia”

Histórias relacionadas

Inscreva-se para receber a sua newsletter α Universe

Parabéns! Subscreveu a newsletter α Universe com êxito

Introduza um endereço de e-mail válido

Lamentamos! Ocorreu um erro

Parabéns! Efetuou a subscrição com êxito