Por trás da lente 

Luigi Baldelli

É estranho, mas antes de entrar no mundo da fotografia há mais de 30 anos, a ambição de infância de Luigi Baldelli era ser médico. Bom, não é tão estranho se pensarmos que passou muito do seu tempo a fotografar conflitos em países devastados pela guerra, como a Síria, o Afeganistão e a Serra Leoa. Além disso, o facto de levar a luta das pessoas que encontrou nestes países a um público mais vasto é, talvez, terapêutico de um modo inverso.

Começou a carreira em 1987 como fotógrafo de redação na agência italiana Contrasto antes de começar a trabalhar com outra agência, a Grazia Neri e, por fim, tendo-se tornado freelancer em 2001. 

Luigi Baldelli
© Luigi Baldelli | Sony NEX-7 + 18-55 mm f/3.5-5.6 | 1/15 s @ f/3.5, ISO 800

"Gosto de pensar que as minhas imagens contam sempre uma história e que a emoção que sinto ao fotografá-las transparece para o observador."

Foi durante o tempo em que trabalhava para uma agência, enquanto fazia a cobertura da guerra na Bósnia, que conheceu o jornalista italiano de renome Ettore Mo que, por sua vez, estava a fazer a cobertura do conflito para o jornal Corriere della Sera. Os dois homens formaram uma parceria e trabalharam em equipa até 2015. Juntos produziram muitos artigos que foram incluídos em publicações de todo o mundo.

Baldelli encontrou a Sony há 10 anos, quando estava à procura de uma alternativa mais leve ao seu MacBook. Impressionado com a qualidade e a velocidade do seu Vaio, começou a investigar a oferta de câmaras da Sony. Foi o tamanho das câmaras α7 que mais o atraiu e depois de ver a qualidade das imagens, mudou totalmente há cerca de 5 anos.

Luigi Baldelli
© Luigi Baldelli | Sony α7R II + 28 mm f/2 | 1/80 s @ f/4, ISO 2500

"Um aspeto que adoro na α7 é a possibilidade de fotografar pessoas de perto sem que elas se apercebam sequer da minha presença. Esta não é realmente uma câmara intrusiva."

Uma vez que os seus projetos o levam para locais em todo o mundo, é grande fã de viajar com pouca bagagem e, atualmente, utiliza uma α7 II e uma α7R II com apenas algumas lentes: a Vario-Tessar T* FE 24-70 mm f/4 ZA OSS, a FE 28 mm f/2 e a Sonnar T* FE 55 mm f/1.8 ZA. Maciej diz que o tamanho o ajuda a integrar-se numa situação e a pôr os seus objetos à vontade. 

Luigi Baldelli
© Luigi Baldelli | Sony α7R II + 28 mm f/2 | 1/3200 s @ f/10, ISO 2500

"Não consigo encontrar falhas na qualidade das lentes, uma vez que são facilmente tão boas ou até melhores do que o equipamento que utilizei no passado."

A pós-produção representa uma grande parte do fluxo de trabalho de qualquer fotógrafo profissional, mas Baldelli considera que não precisa de passar tanto tempo a aperfeiçoar as suas imagens depois de serem captadas pela câmara. Além disso, está bastante contente por poder fotografar em JPEG, em vez de RAW, e considera que a qualidade e a velocidade do processamento se adequam ao seu estilo.

Muito do trabalho de Baldelli possui temas recorrentes, feixes de luz intensos e sombras escuras, um estilo que relembra a pintura barroca italiana e algo que tem todo o prazer em reconhecer que é uma pequena homenagem a um dos seus pintores favoritos, Caravaggio.

Luigi Baldelli
© Luigi Baldelli | Sony α7 + 28-70 mm f/3.5-5.6 | 1/1600 s @ f/9.0, ISO 1600
TEST

"Para mim, colocar o ser humano no centro e a luz em plano secundário é uma decisão consciente. É fácil preencher demasiado uma fotografia, por isso, prefiro incluir apenas dois ou três elementos."

 Produtos em destaque neste artigo 

ILCE-7RM2

α7R II com sensor de imagem full-frame com retroiluminação

Estrutura da ILCE-7/kit

ILCE-7 câmaras full-frame

SEL28F20/SEL28F20FEC/SEL28F20UWC

FE 28 mm F2

SEL2870

FE 28-70 mm F3.5-5.6 OSS

SEL1855

E 18-55mm F3.5-5.6 OSS

Luigi Baldelli
Alpha Universe

Luigi Baldelli

Itália

Para mim, a fotografia não dá respostas, provocando antes emoções e questões.

Ver perfil

x