Romper com as tradições de casamento

 Jorge Miguel Jaime Báez 

"Ordem no caos" é um conceito que descreve bem a fotografia de Jorge Miguel Jaime Báez. Jorge aproveita todas a emoções e imprevisibilidade de um dia de casamento para criar uma série de imagens de estilo documentário, captando momentos que um fotógrafo de casamentos convencional perderia ao mudar de uma configuração para outra. E são esses momentos, de outra forma perdidos, que tornam a sua fotografia tão especial. 

jorge miguel sony alpha 7RII noivo pensativo
 © Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 25 mm f/2 Zeiss| 1/60 s @ f/2.0, ISO 3200

A imagem da noiva que aguarda para entrar na cerimónia é apenas um exemplo da eficácia de uma abordagem inocente para captar emoção pura. Jorge explica:

"Anteriormente, ela parara a observar esta imagem da sua mãe, que falecera dois anos antes. Tinha chegado tarde da primeira vez, por isso, esperei calmamente no meu lugar, com a exposição e focagem preparadas. Ela aproximou-se novamente e eu disparei. Tive de inclinar um pouco a câmara, para que tudo ficasse no ponto ideal. A silhueta do pai no fundo foi essencial para captar todas as emoções que sentia; uma sensação de solidão com clareza absoluta. Esta é a fotografia preferida da noiva."

A abordagem de Jorge provém da sua experiência pessoal: o seu próprio casamento em 2006 e um momento que não ficou registado, apenas memorizado por si e pela sua mulher e parceira da fotografia, Maria.

jorge miguel sony alpha 7RII dama de honor segue a noiva até ao altar
© Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 25 mm f/2 Zeiss| 1/200 s @ f/2.0, ISO 640

"Maria estava a pedir-me uma opinião sobre os brincos que devia utilizar e como não lhe soube responder, perguntou-me se havia algum problema. Eu estava nervoso e não conseguia falar. Essa é a memória mais bela e intensa que guardo desse dia, simbolizando a essência, o presente e o futuro da minha vida." 

Infelizmente, o fotógrafo que tinham contratado estava à sua espera no exterior e Jorge lembra como o casal ficou desapontado quando viram as fotografias do dia. "Quando vimos as fotografias", diz Jorge, "sabíamos que não transmitiam minimamente os nossos sentimentos." Este foi o ponto de viragem, o momento em que soube que a sua fotografia tinha de mudar e focar-se no que é mais importante: "as pessoas, as suas paixões e os seus sentimentos: a história do dia do seu casamento".

jorge miguel sony alpha 7RII noiva e noivo refletidos numa janela

 © Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 24 mm f/1.8| 1/500 s @ f/4.5, ISO 640

O estilo inocente, diz Jorge, depende da capacidade do fotógrafo de mergulhar nesse caos. Na alegria e na tristeza, no clamor e nos nervos. Na vida, no fundo. Essencialmente, é uma questão de confiança. "É necessário conquistar a confiança suficiente para estar em locais e situações em que as outras pessoas não deveriam estar. É preciso estar no local sem lá estar, sem participar, sem dar opiniões, apenas para documentar. Ao intervirmos, estamos a transformar e a instruir e, dessa forma, todos os casamentos seguirão o mesmo padrão. Mas se deixamos as coisas fluir, somos surpreendidos e captamos momentos inimagináveis. Parto para os casamentos com uma mente aberta, preparado para captar emoções."

Na sua fotografia de casamentos, Jorge personaliza a distância focal com um corte na câmara, para um aumento eficaz. "A α7R III permite-nos personalizar um botão para disparar em full-frame a 42 Mp ou com um corte de APS-C a 18 Mp, por isso, a minha 55 mm transforma-se numa prática 82 mm. Gosto muito dessa inovação e da possibilidade de fazer essa alteração rapidamente". 

jorge miguel sony alpha 7RII olhar da avó da noiva
 © Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 25 mm f/2 Zeiss| 1/500 s @ f/4.5, ISO 1250

Jorge sabe como é importante conhecer o casal de noivos e as suas preferências, curiosidades e sentimentos, para poder antecipar os momentos que lhe permitirão captar imagens de candura. Explica que, na base do buquê da noiva, havia duas fotografias dos seus avós, já captara algumas imagens, mas não estava convencido de que fossem suficientemente fortes. Após conversar com o casal, tomou consciência da importância desse instante e, por isso, adaptou a sua direção.

"Enquanto nos aproximávamos, conseguia ver as duas imagens claramente, com ela no fundo, por isso, decidi-me por este quadro, sem revelar a noiva na sua totalidade. Queria refletir a passagem do tempo, as gerações e o respeito pelos mais velhos. Essa foi a última fotografia da senhora idosa, que faleceu alguns dias depois."

jorge miguel sony alpha 7RIII damas de honor a chorar em casamento

 © Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 25 mm f/2 Zeiss| 1/500 s @ f/4.5, ISO 1250

Um dos aspetos que Jorge aprecia na fotografia de casamento é a injeção de adrenalina que recebe quando sabe que captou um momento particularmente único, especialmente se o tiver procurado e imaginado antes. "Nesta imagem", explica, "a Verónica preparou uma memória especial para a sua mãe, mas a mãe não tinha óculos para ler, por isso a Verónica leu-a para a mãe. A emoção foi subindo gradualmente e tive de decidir o quadro a captar, por isso, foquei o abraço mas fiz a composição com as raparigas à direita".

jorge-miguel-sony-alpha-7RII-bride-and-friend-embracing

 © Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 24 mm f/2 Zeiss| 1/160 s @ f/2.8, ISO 3200

 "Onde reinar o caos, estarei por perto! Estava a utilizar o ecrã traseiro da minha câmara quando vi uma criança a correr para mim à direita. Não disse nada à criança e mantive o dedo no botão do obturador e tive a felicidade utilizar as pernas da criança como vinheta, definindo o ponto focal. Foi instinto, se alguma coisa nos diz para disparar, devemos fazê-lo, é isso que nos distingue dos outros: a nossa curiosidade, preferências e fraquezas."

Para Jorge, captar a imagem perfeita não é uma questão de reproduzir estereótipos ou modas ou de pensar em prémios de concursos, mas sim de agarrar os momentos que refletem os turbilhões de emoções à espera de serem fotografados.

jorge miguel sony alpha 7RII noivo pensativo antes do casamento

© Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α7R II + 55 mm f/1.8| 1/125 s @ f/2.8, ISO 3200

Esta imagem do noivo Juan Carlos é uma das favoritas de Jorge. Explica que Juan Carlos se sentia nervoso antes da cerimónia e que precisava de estar alguns momentos sozinho. Quando Jorge o encontrou, descreve como estava inquieto e como era essencial captar esse momento: "Levantou-se e começou a rondar a mesa da sala de jantar. Por isso, preparei-me para disparar. Colocou as mãos sobre a mesa e soltou um grande suspiro. Depois disse: "Jorge, foi uma longa caminhada." 

Para Jorge, este momento resume o motivo da sua paixão pela fotografia: "Diz tudo; a importância deste dia para os noivos, tudo o que o noivo passou e as expetativas para o futuro. Por isso, é essencial captar estes momentos, tratando-os com sinceridade e em conformidade com as minhas convicções".

jorge miguel sony alpha 9 noiva e noivo refletidos em espelho de automóvel

© Jorge Miguel Jaime Báez | Sony α9 + 35 mm f/1.4| 1/8000 s @ f/1.6, ISO 2000

ILCE-7RM2

α7R II com sensor de imagem full-frame com retroiluminação

ILCE-7RM3

Câmara full-frame α7R III de 35 mm com focagem automática

ILCE-9

Câmara sem espelho full-frame α9 com sensor CMOS empilhado

TEST
SEL35F14Z

Distagon T* FE 35 mm F1.4 ZA

SEL24F18Z

Sonnar® T* E 24 mm F1.8 ZA

SEL55F18Z

Sonnar T* FE 55 mm F1.8 ZA

Alejandro Ceresuela
Alpha Universe

Jorge Miguel Jaime Báez

Espanha

"A história é feita por pessoas, pelas suas paixões e emoções."


x