G Master

Entrevista com os engenheiros

Os engenheiros da Sony debatem o conceito da lente G Master, proveniente da inovação tecnológica e do design ótico sem compromissos.

A visão por detrás da G Master

A G Master, uma nova marca com uma visão clara sobre as câmaras do futuro, procura a derradeira expressão da alta resolução e do bokeh 

Planeamento do produto

Akira Shiraishi

Akira Shiraishi

Shiraishi:

Em 2013, quando lançamos a série α7, criamos uma gama que dava prioridade às lentes de zoom F4 e às de distância focal fixa relativamente pequenas com base no conceito do tamanho pequeno e do alto desempenho. Ouvimos muitos clientes a exigirem lentes de zoom F2.8 e lentes de distância focal fixa F1.4.

Mas, as estruturas já tinham evoluído da α7R, resolução de aprox. 36,4 milhões de píxeis, para a α7R II, que tinha aprox. 42,4 milhões de píxeis e estava equipada com estabilização de imagem de 5 eixos.

A tecnologia de sensor de imagem continua a evoluir e as altas resoluções são um valor universal cada vez mais importante. O bokeh da lente é outro valor universal e continuará a haver uma forte procura por ambos. Neste espírito, com o desenvolvimento das lentes de distância focal fixa F1.4 e das lentes de zoom F2.8 de grande abertura, lançamos uma nova marca centrada em combinar alta resolução e bokeh de forma eficaz.

A Sony sabe o futuro dos sensores de imagem. Esta lente continuará relevante perante o desempenho das câmaras sempre em evolução 

Os 3 produtos da nova marca G Master que desenvolvemos: a lente de zoom standard FE 24–70mm F2.8 GM, para obter um desempenho de resolução da classe da lente de distância focal fixa em qualquer distância focal, a lente para retratos FE 85mm F1.4 GM, que privilegia a conversão do bokeh desde a focagem mais nítida ao fundo, e a lente teleobjetiva com zoom FE 70–200mm F2.8 GM OSS, destinada à captura de uma resolução potente na teleobjetiva e ao bokeh no espetro de retrato.

Estas lentes usam várias tecnologias inovadoras, incluindo elementos de lente XA (extremamente asféricos) recentemente desenvolvidos. A Sony é uma fabricante líder de sensores de imagem e sabe como irão evoluir. O dever da série G Master é o antecipar o progresso e oferecer lentes que continuarão relevantes no futuro.

Lente G Master

Lentes asféricas superiores

Masanori Kishi

A G Master não teria sido possível sem este elemento fundamental

Diretor-geral adjunto – Departamento de design mecânico da lente

Masanori Kishi

Kishi:

Ao desenvolver a série G Master, adotamos um elemento de lente XA (extremamente asférico) com precisão de superfície de 0,01 mícrones. As lentes asféricas são muitos difíceis de fabricar e foi um desafio para nós verificarmos até que ponto conseguíamos elevar a precisão de superfície.

Quando estávamos a desenvolver esta tecnologia, colaboramos com os engenheiros no centro de produção da Sony Global Manufacturing & Operations Corporation, na província de Aichi, no Japão, onde têm a tecnologia de produção de lentes asféricas, e, após revermos todos os processos de fabrico de raiz, introduzimos um novo processo.

Estou convicto de que as lentes XA que finalmente conseguimos produzir são da melhor qualidade no mundo. Considero que o motivo pelo qual conseguimos aperfeiçoá-las a um nível tão elevado foi porque pudemos utilizar a tecnologia proprietária exclusiva da Sony e desenvolvê-la em estreita colaboração com as instalações de produção.

Precisão de superfície de lente convencional
PRECISÃO DE SUPERFÍCIE DE LENTE CONVENCIONAL
Precisão de superfície de lente XA
PRECISÃO DE SUPERFÍCIE DE LENTE XA (0,01 MÍCRONES)
Lente extremamente asférica

A lente XA (extremamente asférica) maximiza o desempenho dos outros elementos de lente para alcançar uma alta resolução e um bokeh natural

Normalmente, no design da lente, os elementos de lente bão têm todos a mesma eficácia e sensibilidade; em vez disso, ajustamos o design ao atribuir funções a cada elemento. Do mesmo modo, para a G Master, como temos um elemento de lente XA com uma elevada precisão de superfície, podemos oferecer funcionalidades como a capacidade de compensação de aberrações e da sensibilidade. Assim, fazemos com que a lente tenha a mais alta resolução.

A G Master é capaz de alcançar ambas as resoluções do centro para os cantos da imagem e um bokeh muito natural porque conseguimos criar elementos de lente XA com uma precisão de superfície de 0,01 mícrones extremamente elevada. Não é um exagero dizer que a G Master não teria sido possível sem o desenvolvimento dos nossos elementos de lente XA.

Alta resolução e bokeh: juntos, finalmente

Criar uma combinação mais eficaz de elementos em conflito com uma frequência de 50 pares de linha por milímetro como uma linha de base da MTF

Masanori Kishi

Kishi:

Como a alta resolução e o bokeh estão intrinsecamente em conflito, é muito difícil conjugá-los na sua derradeira forma. No que toca à resolução, adotamos uma MTF1 com uma frequência espacial de 50 pares de linha por mn como a nossa linha de base do design, o nosso padrão mais desafiante de sempre.

Uma frequência espacial superior significa que a lente consegue reproduzir melhor as alterações subtis no contraste. Para alcançar essa meta, removemos totalmente as várias aberrações óticas, como as aberrações cromáticas e coma, na fase de design. Para eliminar as aberrações nos cantos da imagem, repetimos inúmeras simulações, removendo pouco a pouco as aberrações até alcançarmos o design ótico final.

É evidente que alcançar apenas uma frequência espacial superior não garante uma boa lente, uma vez que muitos componentes de baixa frequência podem depender do objeto a capturar. Em última instância, o objetivo deve ser uma fotografia com um bom aspeto e, como tal, o que interessa é alcançar um design com um bom equilíbrio desde as frequências baixas às frequências altas.

Na fase de design da lente, à medida que aumentamos a resolução, temos de verificar constantemente o bokeh. Para tal, utilizamos a simulação do bokeh para que o bokeh não seja afetado negativamente à medida que o desempenho da MTF aumentava.

O bokeh da lente é um objeto muito complexo e com vários tipos: frontal e posterior, e de distância curta a longa. Uma vez que o tipo de bokeh também varia consoante a distância focal, não é algo que possa ser avaliado apenas através da simulação.

As simulações do bokeh têm de ser integradas de forma inteligente, através da experiência e do conhecimento acumulados da Sony. Deste modo, procuramos constantemente efeitos do bokeh que os nossos clientes consideram magníficos.

Imagens da simulação do bokeh

Imagens da simulação do bokeh

Abertura circular de 11 lâminas

Shiraishi:

No design ótico, existem vários elementos que afetam o bokeh, mas é difícil eliminá-los totalmente na fase do design ótico. Vão existir diferenças individuais no produto final, como tal, as lentes da série G Master são verificadas uma a uma durante o processo de fabrico e ajustadas para garantir que produzem um bokeh ideal antes do envio. 

Para efetuar estes ajustes, precisa de efetuar ações como construir um novo equipamento de ajuste e incluir um mecanismo de ajuste na própria lente. Os mecanismos para implementar este passo de processamento são necessários antecipadamente. Contudo, ao ajustar o bokeh dessa forma, conseguimos proporcionar lentes topo de gama aos nossos clientes e esta atitude e este espírito são uma parte importante da mentalidade G Master.    

A FE 85mm F1.4 GM e a FE 70–200mm F2.8 GM OSS utilizam uma abertura circular de 11 lâminas pela primeira vez numa lente α. O desenvolvimento da abertura de 11 lâminas atual foi inspirado na necessidade de manter as formas do bokeh circulares o máximo possível nas definições de grande abertura. Outra vantagem relacionada com o aumento do número de lâminas é que permite um design mais compacto para unidades de abertura com diâmetros de abertura muito grandes.

As lentes são ajustadas uma a uma durante o processo de fabrico para garantir que produzem o bokeh ideal

Bokeh com abertura de 11 lâminas

Bokeh com abertura de 11 lâminas

Bokeh com abertura de 7 lâminas

Bokeh com abertura de 7 lâminas

Mecanismo de unidade inovador

A resolução e o bokeh são otimizados pelo design ótico e, em seguida, testados pela tecnologia do atuador da Sony 

SSM da unidade do anel e motor linear

Kishi:

Mesmo que encontre um equilíbrio entre a alta resolução e o bokeh e alcance os mais altos níveis de desempenho, não terá a oportunidade de usufruir desse desempenho sem uma precisão de focagem igual. Por esse motivo, também foi necessária uma precisão elevada. Para obter o maior desempenho da lente, enquanto os designers óticos estavam a aperfeiçoá-la o máximo que conseguiam, proporcionamos à G Master capacidades de focagem fantásticas ao combinar os atuadores inovadores da Sony, desenvolvidos através da nossa tecnologia proprietária, com mecanismos otimizados para as caraterísticas óticas de cada lente. 

A FE 70–200mm F2.8 GM OSS trata do peso da lente ao dividir o grupo de focagem, que normalmente consiste numa estrutura, em dois grupos de focagem separados. Deste modo, distribui o peso. Além disso, ao combinar os grupos de focagem com atuadores independentes e ao controlá-los de forma independente, a lente alcança uma focagem mais suave em fotografias e vídeos. A divisão do grupo de focagem em dois também cria uma estrutura flutuante que possibilita corrigir eficazmente várias aberrações em todas as distâncias dos objetos e, graças à estrutura flutuante, que é capaz de um controlo totalmente independente, pode ajustar a posição de cada elemento de lente um a um até à sua posição ideal de uma forma que é impossível de fazer numa estrutura flutuante típica, permitindo tirar o máximo partido do desempenho inerente das lentes.

1. SSM da unidade do anel     2. Motor linear

A tecnologia de atuador inovadora permite uma forma de fotografar totalmente diferente

A FE 85mm F1.4 GM e a FE 70–200mm F2.8 GM OSS estão equipadas com sistemas de motor SSM da unidade do anel de nova geração e otimizam os SSMs da unidade do anel usados em lentes de montagem tipo A para AF com contraste em câmaras de lentes amovíveis sem espelho. Estas câmaras que utilizam AF com contraste requerem uma unidade recíproca pequena ao focar, ou seja, é necessária uma rotação suave.

É dada a esse SSM uma rotação mais suave ao conjugá-lo, pela primeira vez, com rolamentos de esferas. A FE 85mm F1.4 GM está equipada com 2 sensores de posição que detetam e controlam diretamente a lente de focagem. O SSM da unidade do anel excelente, os sensores de deteção de 2 posições e o algoritmo de unidade avançado permitem controlar a posição da lente ao nível de 1 mícron, permitindo um AF com uma precisão bastante alta.

Sistema do motor de SSM da unidade do anel
Masanori Kishi

Kishi:

Espero mesmo que as pessoas experimentem a funcionalidade "AF de olhos (autofocus)", que foca os olhos do objeto, numa combinação da FE 85mm F1.4 GM e da série α7. Depois de a experimentarem, irão perceber a precisão de focagem elevada desta lente. As lentes 85mm F1.4 tradicionais, devido à superficialidade da sua profundidade de campo, têm tido ocasionalmente problemas ao focar totalmente os olhos com o AF. 

Muitos profissionais utilizam a focagem manual para uma focagem precisa das lentes 85mm F1.4, pelo que é fantástico termos tornado esse nível de precisão mais facilmente alcançável com o AF. Embora a 85mm F1.4 seja uma lente com uma profundidade de campo muito superficial, alcançamos uma precisão suficiente para conduzir as lentes de focagem ao ponto em que os fotógrafos podem fotografar na pupila e também as pálpebras, as extremidades das pestanas, a superfície da pupila ou o reflexo, consoante a sua intenção. 

Foi a tecnologia de atuador inovadora integrada nestas lentes que nos permitiu alcançar este nível de precisão. Creio que isto levará a uma forma de fotografar totalmente diferente, uma vez que anteriormente os fotógrafos tinham de se concentrar numa focagem precisa e agora podem alterar o ângulo de visualização e permitir que o objeto se mova, mantendo sempre a focagem nas pupilas.

Akira Shiraishi

Uma mensagem de Akira Shiraishi

Tenho um carinho especial pela FE 85 mm F1.4 GM. Há dez anos, fui entrevistado acerca da lente de montagem tipo A 85mm F1.4: de entre as lentes α, a 85mm F1.4 é verdadeiramente icónica, com especificações excecionais. Considero-a uma lente excelente para representar a marca α.

Ao criar esta nova 85mm F1.4, queria que fosse a melhor lente e superior a todas as anteriores. Creio que é exatamente isso que alcançamos e espero que o que pensamos acerca da FE 85mm F1.4 GM seja partilhado por outras pessoas. Ao ouvirmos com atenção o feedback dos nossos clientes acerca da série F4, conseguimos melhorar o desempenho das nossas outras duas lentes da série G Master, a FE 24-70mm F2.8 GM e a FE 70-200mm F2.8 GM OSS. Espero que os clientes que atualmente utilizam a série F4 experimentem estes novos modelos F2.8.

Uma mensagem de Masanori Kishi

Até ao lançamento em simultâneo destas 3 lentes excecionais da nova marca G Master, todos nós, programadores, elevamos constantemente a fasquia ao equipar cada lente com tudo o que fosse possível, incluindo uma operabilidade refinada, sem compromissos. Desde o lançamento da série α7, recebemos muitas opiniões e informações de vários utilizadores profissionais.

Introduzimos estes produtos no mercado ao trabalhar em todos os detalhes até à sua conclusão lógica, quer ao nível da operabilidade, do desempenho ou de outras funcionalidades, de uma forma que responde ao contributo destes utilizadores. Considero que criamos lentes que posso recomendar com confiança, pelo que fico feliz ao ver as pessoas a utilizarem-nas e a divertirem-se a tirar fotografias com elas. Espero que as pessoas desfrutem da fusão sem precedentes da alta resolução com um bokeh magnífico que esta nova série G Master proporciona.

Masanori Kishi

As lentes do futuro chegam hoje

A alta resolução e o bokeh espetacular aliam-se numa lente que irá continuar a oferecer o máximo desempenho com as estruturas de câmara mais avançadas durante muitos anos.